8 de setembro de 2020 17h33min - Atualizado em 11 de setembro de 2020 às 11h14min

Defensoras públicas de RO discutem obras de autoras feministas sobre gênero e raça em debates promovidos pela Comissão dos Direitos da Mulher da Anadep

  • A+
  • A-

As defensoras públicas de Rondônia Silmara Borghelot e Talita Cecconello participaram, na última terça-feira (1º), da Comissão dos Direitos da Mulher da Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep) que promoveu encontros virtuais por meio da plataforma zoom para debater sobre obras a partir do mote “Feminismo Negro: reflexões antirracistas e práticas deocoloniais”, o grupo analisou as obras Lugar de Fala (Djamila Ribeiro); Quarto de Despejo (Maria Carolina de Jesus); Estariam as Prisões Obsoletas? (Angela Davis); e Eu Sou Atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento (Alex Ratts).

Como mediadora das reuniões, a defensora pública de Sergipe, Carla Caroline Silva, informou que o objetivo dos debates dentro da Comissão da Mulher é ampliar o material teórico acerca de questões raciais e sobre o machismo estrutural, para que assim seja possível promover debates relacionados a essas demandas nas atividades da Comissão e ainda na sociedade.

Os debates proporcionaram o aprofundamento teórico de pontos sociais pouco discutidos como lugar de fala, invisibilidade da mulher negra periférica, necessidade de reflexões críticas em relação ao modelo punitivista do sistema penal contemporâneo e a busca por práticas decoloniais. O intuito é que cada vez mais surjam soluções criativas para as questões sociais afetas aos direitos das mulheres negras e indígenas.

Fonte da Notícia: Ascom Amdepro